A Cachaça Lobatinha, em 2021 completará 100 anos!

A Lobatinha

Conteúdo Exclusivo
Por Robson Moraes Almeida

Muita coisa boa para se contar, com ela se comemorou casamentos, títulos de futebol regional, nacional e internacional. Participou de diversas festividades, até velórios dos mais inusitados. A Lobatinha é uma cachaça hoje rara, era produzida na fazenda Olaria em Lagoa da Prata de 1921 até a década de 80. O alambique teve vários donos e sócios ao passar dos anos. Dentre eles podemos citar, José Teotônio de Castro (Presente no rótulo provisório) e Otaviano de Castro, presente nos rótulos mais recentes. Hoje o nome é patenteado e pertence a André de Castro.

Foto arquivo Renato Bernardes

Em um rotulo antigo, bem amarelado com o tempo, consta como José Teotônio de Castro como proprietário.

Meu pai quem fabricava, 6.000 lt por dia. Meu pai foi herói… Saudades.
Cidinha de Castro

Foto arquivo Joana Lobato Foto de 1922

Foto arquivo Joana Lobato Foto de 1922

Referente ao paladar e a qualidade da mesma nunca se ouviu nenhum relato pejorativo! É a perfeição regional da pinga! A qualidade da cana, o tipo do terreno, a forma de manejo da cana, produziram uma pinga diferenciada, sendo até mais procuradas do que algumas famosas de Salinas/MG. A Lobatinha teve várias edições especiais comemorativas. As remanescentes guardadas tem um valor histórico imenso.

Mesmo sendo uma raridade, ainda se encontram na mão de apreciadores unidades lacradas desta bebida. Em uma sondagem com proprietários remanescentes da iguaria, a maioria manifesta ter preço incalculável e que não é um produto para se vender! Outros chegaram a pedir 7 mil reais por um litro, e dizem que tem comprador! Tem um valor histórico imenso, praticamente incalculável!

Com o fim do alambique os segredos, receitas e as formas de destilar, curtir, envelhecer a cachaça foram passadas para parentes que hoje fazem a Prima da Lobatinha, a herdeira, em menor escala. A qualidade é muito parecida!

Foto publicada por Cida Soares em 25 de julho de 2017
no Grupo do Facebook “Familias da Antiga Luciania” 

A Prima da Lobatinha é feita no alambique do Sr Vital Castro. O nome surgiu por que ele é primo dos fabricantes da antiga Lobatinha.
Isabela Castro

Uma cachaça com nome e idêntico, feita em São Gonçalo do Pará não tem nada a ver com esta rara preciosidade.


Robson Moraes

Robson Moraes Almeida, Farmacêutico, Bioquimico, Retratista e Editor do Lagoa da Prata Ponto Com

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Copias desativadas.