Cavalos soltos nas ruas de Lagoa da Prata

Cavalos soltos nas ruas de Lagoa da Prata

“Felizmente, até o momento, nenhum acidente. Mas, vamos esperar acontecer uma tragédia para tomar uma atitude?” Questiona o Locutor Yuri Urquisa da Rádio Divinal.

É uma situação que acreditamos possa ser realmente difícil de resolver. Todos estes cavalos tem dono. Eles tem uma labuta semanal bastante desgastante. Alguns deles são de carroceiros e outros de catireiros. A foto que ilustra a matéria é real, tirada dia 06 de dezembro na Avenida do Contorno em Lagoa da Prata. 7 cavalos andando nas ruas e potencialmente podendo causar acidentes.

No momento da foto, uma jovem estava de moto, voltando para sua casa, quando viu os cavalos na avenida, virou algumas esquinas antes para fugir deles. Outra jovem estava andando de bicicleta e resolveu voltar para trás. São bichos surrados, pelas fotos alguns já idosos, acompanhados de suas crias.

O problema maior realmente é no fim de semana. Onde os animais e seus donos descansam. Os animais perambulam pela cidade a procura de lotes ou espaços com capim para seu alimento. Nas periferias o problema é grave. Em outras épocas já foi fotografado cavalos pastando na praça da matriz, em pleno centro da cidade.

Outra situação a se pensar é a presença de carrapatos. E a possibilidade da febre maculosa que já apresentou casos no centro oeste de Minas Gerais!

O que orientamos é ficar atentos, pois eles andam no meio das ruas, as vezes em curvas ou esquinas, podem sair correndo de lotes assustados por cachorros e causarem acidentes.

A sociedade precisa se unir para tentar resolver mais este problema de uma forma eficiente para evitar danos aos animais e a inocentes. Existem leis no código de postura do municipio e no código de transito. E agora?

Tem alguma sugestão? Envie para o zap da redação! (37)9 9121-5090.

E fiquem atentos!

Robson Moraes

Robson Moraes Almeida, Farmacêutico, Bioquimico, Retratista e Editor do Lagoa da Prata Ponto Com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *