A Praia de Lagoa da Prata

A Praia de Lagoa da Prata

Cartão postal de Lagoa da Prata, a Praia Municipal foi inaugurada em 1968 e transformada em parque ecológico em 1991. A Praia é um patrimônio do Município. Realmente, um belo atrativo para turistas de toda região. Sua orla é bem cuidada e conta com espaço para natação, caminhada, futebol de areia, quadras, chuveiros, vestiários, banheiros e quiosques onde encontramos um bom peixe frito ou uma água de coco gelada.

A Praia recebeu recentemente uma grande reforma na sua entrada principal. Esta mudança deu a praia um aspecto arrojado e inovador que o ponto turístico merece.

Mas nem tudo é tão perfeito quanto parece a descrição acima. Já a algum tempo vem-se relatando ataques de pirambeba, aqui chamado popularmente de cavaquinho. Este peixe é carnívoro e muito frequente na nossa região.

Várias pessoas já foram vítimas deste peixe que ataca os pés dos banhistas, a maioria crianças, causando um enorme susto. Este problema é de conhecimento da prefeitura. Existe até uma placa alertando para o problema, mas passa desapercebido, pois com a beleza do local a primeira coisa que o turista quer fazer é entrar na água. Ainda mais com esta onda de calor que atualmente nos importuna.

Os funcionários da praia recomendam que os banhistas não se desloquem para as partes mais fundas e que não ultrapassem um marco de segurança presente em toda área destinada para a natação. Mas os cavaquinhos tem atacado até na parte rasa da praia. Nos dias de maior concentração de banhistas, a prefeitura disponibiliza um veículo para levar os banhistas atacados para o pronto socorro para fazer curativos.

A praia sempre recebeu melhorias ao longo dos anos e tem muita história para contar sobre estes peixes. Em épocas passadas foi solto na lagoa um casal de botos, a idéia inicial era uma tentativa de acabar com as piranhas, mas com o tempo, percebeu-se que isso não seria tão ecologicamente eficiente quanto pensavam. E outros fatores fizeram com que os botos fossem levados embora daqui. Várias administrações se passaram e o problema vai e volta.

Além desta tentativa de acabar com os cavaquinhos, foram adotados também a introdução do peixe tucunaré, numa outra maneira ecológica de acabar com as pirambebas. Infelizmente, devido a uma pesca predatória ao tucunaré que ocorreu nos últimos anos, a população de pirampeba aumentou de novo.

Solução definitiva para o problema não está próxima de acontecer. Recentemente foi instalada uma rede para a pesca do cavaquinho que amenizou mas não resolveu totalmente o problema.

Temos vários biólogos formados daqui da cidade e na região. Acredito que alguém vai ter uma idéia boa para o problema. A principio eu recomendo a liberação da pesca do cavaquinho para diminuir a quantidade dos ataques. Quem sabe até um concurso de quem pega mais cavaquinhos… Você tem outra idéia? Me mande, eu quero saber!

BOX – Foto Pirambeba

Pirambeba (Serrasalmus brandtii) é um peixe carnívoro, da família das piranhas. Nativo do Brasil, está presente em diversas bacias hidrográficas como a do Amazonas, Paraguai, a do Paraná, a do Tocantins e a do São Francisco. Sua frequência é maior em águas de pouca correnteza ou águas paradas.


Veja o vídeo da Lagoa de Lagoa da Prata, gravado em abril de 2016 por Luis Paulo Silva

Robson Moraes

Robson Moraes Almeida, Farmacêutico, Bioquimico, Retratista e Editor do Lagoa da Prata Ponto Com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *